Dia Internacional da Mulher é comemorado no Ceará com muita luta contra a PEC 287

Por
|

Mulheres PRF’s entregaram rosas, cartilhas e manifesto, conversaram e parabenizaram as mulheres condutoras e usuárias da BR 116 pelo seu dia

O Dia Internacional da Mulher foi comemorado com muita luta na manhã desta quarta-feira (08/03). A Comissão de Mulheres Mais Direitos e Mais Participação, juntamente com o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado do Ceará (SINDPRF-CE), realizou uma manifestação contra a PEC 287 (Reforma da Previdência Social) em frente à 16ª Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal (16ª SRPRF).

O protesto se iniciou às 9 horas com discursos de mulheres, diretores do sindicato, representantes de centrais sindicais convidadas e da União dos Policiais do Brasil (UPB).

Faixas com dizeres contra a PEC 287, que pretende mudar as regras da Previdência, foram expostas e coletes e cartazes foram entregues aos protestantes. As falas foram unânimes em reafirmar que a reforma ataca diretamente todas as categorias e não leva em consideração a atividade risco realizada pelos Policiais.

Logo após o ato político, as mulheres PRF’s entregaram rosas, cartilhas e manifesto, conversaram e parabenizaram as mulheres condutoras e usuárias da BR 116 pelo seu dia. Depois da mobilização, foi realizado um coffee break para os Policiais, convidados e funcionários da 16ª SRPRF.

Durante a mobilização, a representante da Comissão de Mulheres, Adalgimar Maia, comentou que a escolha pelo protesto contra a PEC 287 no Dia Internacional da Mulher está diretamente ligada ao fato de que essa reforma ataca diretamente os direitos conquistados pelas mulheres.

E é justamente o que a PRF Soraya Darcia, da Comissão de Direitos Humanos da PRF-CE, reforça. Darcia explica que PEC 287 prejudica os direitos ao não levar em consideração a realidade da mulher brasileira. “A mulher hoje possui um regime diferenciado na previdência social, pois ela tem ‘N’ outras atribuições que o homem não tem. As mulheres têm uma carga tripla e isso não pode ser desprezado. Primeiro de manhã com obrigações em casa, depois sua carga horária do trabalho, e a noite ela volta para o lar para cumprir todas as obrigações domésticas e de administração”.

O Presidente do SINDPRF-CE, Lourismar Duarte, avaliou como positivo e marcante a manifestação e elogiou a decisão da Comissão de realizar um ato político contra a reforma em um dia que é considerado somente festivo por parcela da sociedade. “Acredito que o Dia Internacional da Mulher é uma das datas mais importantes que marcam a luta das histórias da humanidade, e foi um ato de sucesso total, que marca um dos primeiros passos aqui no Ceará contra essa PEC que quer tirar os direitos dos trabalhadores”, comemora Duarte.

Notícias Relacionadas:

  1. União formada por entidades sindicais define diretrizes de luta contra a Reforma
  2. Propostas sobre violência contra mulher não avançam e dependem de ajustes
  3. Dilma pede “tolerância zero” com violência contra a mulher
  4. Violência contra a mulher será tema de audiência na Assembleia Legislativa da Bahia
  5. Congresso tem programação especial pelo Dia Internacional da Mulher