FenaPRF quer que os assassinos do soldado Hélio sejam presos e condenados

Por
|

Hélio Vieira Andrade. Foto: Divulgação

É com extremo pesar que a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), e nome dos 25 sindicatos estaduais (SinPRFs) filiados, vem a público externar sua indignação pela morte do SOLDADO HÉLIO VIEIRA ANDRADE, 35 anos, integrante da Força Nacional. Hélio foi alvejado por bandidos no complexo de favelas da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro na quarta-feira (10) e veio a óbito na noite de ontem (11) no hospital Salgado Filho.

Quem morreu não foi apenas mais um cidadão que, com o sacrifício da própria vida, cumpria a missão profissional de defender a sociedade, mas uma parte de cada policial deste país que passa por uma situação terrível de injustiça, insegurança e inversão de valores. Errar o caminho com uma viatura ou carro não pode ser a sentença de morte de nenhum cidadão nesse país, que precisa retomar o controle da segurança para o bem da sua sociedade.

Reconhecemos e valorizamos imensamente as manifestações de luto e pesar do Governador do Estado de Roraima, do Ministro da Justiça e do Presidente da República, que, com o luto oficial, prestam uma homenagem não somente ao profissional e à sua família, mas a todos os agentes de segurança pública que lutam, todos os dias, por uma sociedade mais justa e pela valorização da carreira policial no país.

O policial precisa voltar a ser tratado como referência, e não como inimigo. Precisa deixar de ser acuado e discriminado em suas ações, para que possa agir à altura dos ataques que vêm sofrendo há anos com a precarização das valorosas instituições e ações policiais.

Muitos policiais já mortos sem nenhuma homenagem à altura da sua missão, mas, temos esperança que atitudes como esta, realizadas pelos nossos maiores gestores, possam iniciar uma luta mais eficiente e efetiva pela valorização da ação de cada policial que ainda permanece vivo, lutando por uma sociedade melhor, e para que sua vida amanhã não possa se perder numa viela fria dominada não por marginais, mas pela incompetência e incapacidade do Estado.

A luta do Sistema Sindical dos PRFs (FenaPRF e SinPRFs), a exemplo de outras entidades de classe, continuará para que os ataques a Policiais não permaneçam impunes.

Local onde Hélio foi alvejado. Foto: Divulgação

“O caso do SOLDADO HÉLIO, nos lembra do assassinato do colega PRF (policial rodoviário federal) LUIZ SANTANA DO IPANEMA, que foi morto a tiros no Sertão do Alagoas enquanto atendia a um acidente de trânsito”, lamenta Pedro Cavalcanti, presidente da FenaPRF.

No caso do PRF LUIZ SANTANA, a FenaPRF entende que justiça está sendo feita. O assassino está preso e seu julgamento está marcado para 23 de agosto. Cavalcanti e vários representantes dos PRFs vão estar no tribunal para acompanhar o evento e apoiar a família.

“Esperamos e queremos que os assassinos do SOLDADO HÉLIO também sejam presos, julgados e condenados por seus crimes o mais breve possível”, conclui o presidente da FenaPRF.


 A reprodução desta notícia é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência FenaPRF’

Notícias Relacionadas:

  1. MPF/GO quer fim de apresentação prévia de presos ao IML feita por agentes da PRF
  2. Conselho de Representantes da FenaPRF quer avanço nas negociações
  3. FenaPRF também quer garantir pela via judicial o direito da aposentadoria especial para as policiais rodoviárias federais
  4. Governo apresenta a sua proposta aos servidores. FenaPRF quer reestruturação da carreira de PRF
  5. Operação Força Unida prende assassinos do PRF Soares