População sai às ruas e faz mobilização contra reformas do Governo Federal

Por
|

Milhares de pessoas aderiram à paralisação nacional e saíram às ruas em todo o Brasil para protestar contra as reformas trabalhista e previdenciária, que tiram direitos adquiridos de trabalhadores do setor público e privado. Policiais rodoviários federais marcaram presença nas manifestações pelos estados que tiveram movimentação contra as reformas.

Apesar de apenas lamentar os poucos casos de conturbação social ocorridos em algumas localidades, o Presidente da FenaPRF, Pedro da Silva Cavalcanti, ressaltou que nenhum dos incidentes teve a participação de qualquer dos profissionais de segurança pública do país, e acrescentou que estes fatos isolados não mancharam em absolutamente nada o espírito cívico e democrático das mobilizações.

“É importante que todos os PRFs sigam firmes nesta batalha, pressionando os parlamentares de seus estados, e participando ativamente dos movimentos populares e das convocações do sistema sindical. Somente com muita luta e união poderemos garantir a manutenção do nosso direito à aposentadoria com dignidade”, complementou Cavalcanti.

Em todo o Brasil
A reforma previdenciária atinge em cheio os PRFs no tocante à aposentadoria de risco dos policiais. A participação dos PRFs se deu em conjunto com outras categorias da segurança pública, na formação da União dos Policiais do Brasil (UPB).

Na capital federal, nas capitais dos estados e também em diversas cidades do interior, guerreiros e guerreiras PRFs atenderam ao chamado do sistema sindical da PRF e manifestaram seu apoio às mobilizações contra as reformas predatórias que tramitam no parlamento nacional.

Os colegas de serviço também contribuíram garantindo a segurança e a urbanidade nos focos de manifestação em rodovias federais, sem registros de incidentes ou conflitos nestes pontos.

Em Porto Alegre/RS, o diretor parlamentar do SinPRF/RS, Marco de Brito, de cima do trio elétrico, explicou os objetivos da manifestação da sexta-feira. ”Todas as polícias reunidas estão clamando por mais segurança pública, mais investimento em segurança. Mas, principalmente, contra esse desmando do Governo com a PEC 287. Hoje não estamos trabalhando só em nosso benefício, e sim buscando os direitos de todos trabalhadores brasileiros, é esse o nosso objetivo. Queremos uma segurança digna, uma vida digna e que todos tenham o direito de aposentar com dignidade”, afirmou o sindicalista.

No outro lado do país, em Recife/PE, Frederico França, presidente do SinPRF/PE chamou todos à luta por transmissão ao vivo no facebook. “O movimento de hoje é de todos! Não é só de partido A ou B, central A ou B. Esse é  um movimento a favor do povo brasileiro”, exclamou o dirigente sindical.

Em Brasília, os serviços de ônibus, metrô, empresas privadas e vários órgãos públicos não funcionaram nesta sexta-feira, o Aeroporto Nacional JK teve manifestações que dificultaram o embarque de passageiros que queriam deixar a Capital Federal. Em São Paulo também houve paralisação de serviços importantes e uma multidão tomou as ruas. No Rio de Janeiro o transporte público funcionou em precariedade e os PRFs também participaram das manifestações pacíficas.

 

Álbum com imagens de manifestações pelo Brasil:

 


A reprodução desta notícia é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência FenaPRF’

Notícias Relacionadas:

  1. MOBILIZAÇÃO:Sinpol e demais representantes das carreiras típicas de Estado se reúnem para desencadear mobilização contra a política de arrocho salarial do Governo Federal
  2. PRFs protestam contra demora excessiva do Governo Federal na regulamentação do adicional de fronteira
  3. CUT vai às ruas contra o ‘não vai ter Copa’
  4. No preparo para a Copa, governo negocia com sindicatos, vigia black blocs e terá militares nas ruas
  5. A 28 dias para a Copa do Mundo, movimentos vão às ruas protestar contra o evento