Author Archive:

Assembleias movimentam semana da FenaPRF em Brasília

Durante a semana, o conselho de representantes dos PRFs esteve reunido em Brasília para participar de Assembleia Geral Extraordinária, Ordinária e realizar atividades parlamentares no Congresso Nacional junto aos deputados e senadores de seus devidos estados de origem.

Na Assembleia Geral Extraordinária (AGE), os sindicalistas discutiram as maneiras como serão abordadas as lutas contra a Reforma da Previdência e contra a MP 873/19. Ficou definido que os sindicatos regionais da PRF se unirão aos sindicatos de outras categorias policiais para realizar o reativamento da União dos Policiais do Brasil (UPB) em nível estadual, para melhor mobilização e fortalecimento das categorias.

Já na Assembleia Geral Ordinária (AGO), que ocorre anualmente, foram aprovados os gastos da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) em 2018 e discutido o orçamento da FenaPRF para o exercício até março de 2020. Todas as contas tiveram aprovação do Conselho Fiscal da Federação e do Conselho de Representantes.

Atividade parlamentar
Foram destinados horários específicos para que os representantes dos sindicatos pudessem visitar os parlamentares de seus estados para conseguir apoio à Frente Parlamentar em Defesa da PRF, que será relançada no próximo dia 2 de Abril. Além da busca de adesão à frente, os PRFs obtiveram apoio na luta contra o atual texto da Reforma da Previdência, que prejudica os policiais brasileiros.

FenaPRF participa do lançamento de frentes no Congresso Nacional

A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) participou, na manhã desta quarta-feira (20), no Congresso Nacional, o lançamento de duas importantes frentes parlamentares mistas nas casas: em Defesa da Previdência Social e a Frente Parlamentar da Segurança Pública.

Mais de 500 pessoas estiveram o auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, para acompanhar discursos e defesas em favor da Previdência Social. O evento ganhou tom de protesto contra o texto da Reforma da Previdência apresentado pelo Governo de Jair Bolsonaro. Várias entidades representativas de servidores públicos e privados compareceram ao evento.

Já no Salão Negro, deputados, senadores e representantes de categorias policiais participavam do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Segurança Pública. Deputados próximos à pauta defendem que haja maior investimento do Governo Federal na pasta. O evento contou com a presença do Ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, defendeu que o trabalho do sistema sindical dos PRFs aconteça de várias maneiras em simultâneo. “É importante acompanharmos todas as discussões que são pertinentes às atividades dos PRFs e que impactam diretamente em nossa qualidade de vida como policiais. Vamos sempre estar abertos ao diálogo e a discussões que elevem a carreira policial”, afirmou o dirigente sindical.

Frente parlamentar em defesa da PRF
Membros do conselho de representantes do sistema sindical dos PRFs de 26 sindicatos estiveram paralelamente nos dois eventos de lançamento. Os sindicalistas colheram assinaturas de adesão à Frente Parlamentar em defesa da PRF, que será lançada oficialmente no início de abril, sob a presidência do Deputado Federal Hugo Leal (PSD/RJ).

O lançamento da frente em defesa da PRF ocorrerá em conjunto com a Frente em Defesa do Trânsito Seguro. O evento está marcado para o dia 2 de abril no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados a partir das 14h.

FenaPRF participa de lançamento de carro construído para ser viatura

A montadora sueca Volvo trouxe ao Brasil um carro feito especificamente para ser viatura policial, o V90. A demonstração está acontecendo em Tuiuti/SP em evento aberto a todas as instituições de segurança pública. O presidente de Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), Deolindo Carniel, representou a entidade no evento.

De acordo com o dirigente é de interesse do sistema sindical conhecer novas tecnologias que possam ser implementadas no Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF). “Dados demonstram que o que mais mata e lesiona os policiais rodoviários federais são os acidentes de trânsito, isso demonstra a importância de termos melhores equipamentos, ou seja, melhores veículos policiais. E no Brasil não temos carros policiais. Só adaptados para o serviço policial”, afirmou.

No ano passado, a FenaPRF alertou o DPRF sobre a carência de veículos policiais de qualidades, desenvolvidos especificamente para atividades de policiamento específico e não modificados. A sugestão foi de um trabalho junto ao Ministério da Justiça para a promoção de debates sobre o assunto.

Com o veículo apresentado, a ideia será amplamente discutida, principalmente pela presença do diretor-geral da PRF, Adriano Furtado; o Diretor-Executivo, José Lopes Hott; o inspetor da PRF em São Paulo, Cordelli; e o presidente do SinPRF/SP, Fábio Almeida.

Diversos policiais rodoviários federais foram ao local e estão avaliando o carro com membros de outras forças policiais.

Na demonstração, os policiais estão tendo exemplos de aplicação do carro em seu dia a dia, realizando test-drive e conhecendo as tecnologias apresentadas no veículo.

Entidades sindicais procuram STF para combater MP do desmonte sindical

Junto a diversas entidades representativas de servidores públicos federais, a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) se reuniu com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para discutir a legalidade da MP 873/19.

O entendimento dos sindicalistas é que a Medida Provisória editada pelo Governo Federal é inconstitucional ao vedar a consignação da contribuição sindical realizada diretamente na folha de pagamento.

De acordo com os presentes na reunião, a análise do Ministério da Economia é de que a vedação ocorrerá.

Os representantes sindicais ainda afirmaram que a ação é uma flagrante atitude anti-sindical e que esse tipo de ação visa enfraquecer e dificultar a atividade dos sistemas sindicais no Brasil.

De acordo com o vice-presidente da FenaPRF, Dovercino Neto, a Medida Provisória é ilegal. “Uma medida provisória tem que ter critérios formais para ser pulicada, esses critérios são a urgência e a relevância da matéria. A MP 873/19 não cumpre esse critérios, portanto, poderia ser discutida como um projeto de lei”, afirmou.

O ministro Dias Toffoli se mostrou receptivo com a pauta e orientou os sindicalistas a buscarem uma agenda com o ministro Luiz Fux, relator das ações no STF de inconstitucionalidade da medida provisória.

Além da FenaPRF que esteve presente representada pelo vice-presidente, Dovercino Neto e pelo diretor jurídico Marcelo Azevedo, outras representações de servidores públicos também participaram da reunião, como a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), Fórum Nacional Permanente de Carreiras Tipicas do Estado (Fonacate) e o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait).

Entidades da segurança pública se manifestam contra a Reforma da Previdência

As entidades representativas, que compõem o Gabinete Integrado, fizeram o primeiro simpósio para discutir a reforma da previdência para os operadores da segurança pública, ministério público e judiciário. Parlamentares, autoridades em previdência e representantes de entidades sindicais falaram e discutiram os termos atuais da Reforma da Previdência.

De acordo com deputado Sargento Fahur (PSD/PR), ele terá uma conversa franca com Bolsonaro sobre o texto da Reforma da Previdência. “Sou da base de apoio, ajudei a eleger o Bolsonaro. Mas vou conversar ao pé do ouvido com ele para fazermos mudanças nesse projeto. Vamos fazer emendas, vamos fazer mudanças, a reforma da previdência. Não vai ser essa que o Paulo Guedes quer nos empurrar garganta abaixo. O homem do campo, o trabalhador, ninguém é obrigado a morrer trabalhando. Temos de ser justos”, afirmou.

A coordenadora do movimento ‘Auditoria Cidadã’, Maria Lúcia Fatorelli, afirmou que o maior problema financeiro brasileiro está na gestão dos recursos. Ela apontou dados retirados de sites oficiais do Governo, que superam a casa dos R$ 4 trilhões.

“Temos no Tesouro Nacional R$ 1,270 trilhão, com dados do fim do ano passado. Sabe qual a justificava? Formar colchão de garantia para as aplicações financeiras e a população perdendo a previdência. Há ainda R$ 1,130 trilhão no Banco Central remunerando a sobra de caixa dos bancos. Outros R$ 1,743 trilhão em reservas internacionais. O que explica a crise? Ninguém no mundo tem esse dinheiro na mão. Se a Previdência é o nosso maior patrimônio e não há o falacioso deficit, deveríamos estar debatendo uma reforma para aprimorar, ampliando o alcance, pois, muita gente está desassistida e há recurso para cobrir essas lacunas”, argumentou.

O presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, destacou que a atual proposta não resolve em nada os problemas da segurança pública. “A reforma ideal seria aquela que acabasse com a divisão dos policiais e a injustiça da pensão para os servidores de 2013. Uma reforma que defendesse as pensões, diferente do que é hoje. Essa proposta acaba com tudo, inclusive com a previdência. É um modelo devastador e me arrisco a dizer que é mais perversa que a PEC 287/16”, pontou Carniel.

LUTO | Polícia Rodoviária Federal perde mais dois guerreiros

É com pesar que a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais, em nome dos 26 sindicatos, lamenta a perda de dois PRFs, neste fim de semana.

No sábado, o PRF aposentado Edson Xavier dos Santos foi encontrado morto em casa, no bairro Matadouro, em Barra do Piraí (RJ).

No dia seguinte, o policial rodoviário federal Carlos Alberto da Cunha Leme Júnior, que fazia parte do Núcleo de Operações Especiais em São Paulo, foi encontrado morto por seus colegas em casa.

As circunstâncias das duas mortes estão sendo apuradas.

A FenaPRF lamenta profundamente a perda de dois guerreiros e deseja paz e conforto aos familiares dos policiais rodoviários federais neste momento delicado.

ARTIGO – Do carnaval à Previdência Policial

A história da PRF, uma jovem senhora de 90 anos, foi tema de uma escola de samba do Espírito Santo. O reconhecimento da importância da nossa instituição seria cantada em verso e prosa pelos capixabas, consagrando o trabalho realizado pelos policiais que atuam nas rodovias federais do país.

O tema foi original. E foi uma proeza num país onde a classe falante é antipolicial até a medula, que esta mesma escola tenha se sagrado campeã louvando uma instituição de segurança pública. Seria um sinal de novos tempos de valorização e reconhecimento do trabalho do policial brasileiro?

Agora que o carnaval acabou os assuntos mais sérios devem voltar à pauta. O presidente da República deve boa parte de seu sucesso eleitoral ao seu discurso de um novo olhar sobre a segurança pública. Um olhar de maior apoio e reconhecimento do trabalho dos policiais brasileiros no enfrentamento de uma das criminalidade mais violentas do mundo. Uma verdadeira guerra que mata cerca de 500 profissionais de segurança pública por ano no país( para se ter uma ideia da gravidade do cenário, o Brasil perdeu 443 soldados na segunda guerra mundial).

Mas se os pracinhas brasileiros tiveram o reconhecimento do estado e da sociedade na época, tendo direito a um tratamento previdenciário justo, o mesmo parece não estar disposto o atual governo, que surpreendentemente jogou o servidor policial na vala comum, mantendo inclusive os termos da famigerada lei das viúvas, aprovada no Governo Dilma(Lei 13135/2015), que tirou das viúvas com menos de 44 anos de idade a possibilidade de uma pensão digna e vitalícia. Hoje o policial que morre em serviço deixa sua família com uma espécie de desamparo estatal com data marcada.

O país precisa recuperar sua economia. A Reforma da Previdência é necessária. Isso não se discute. Mas um país com nossos índices de criminalidade precisa não só de uma reforma nas leis penais, mas de garantias de atuação policial que não se restrinja a esta esfera.

De nada adianta dar ao policial armamento de ponta e garantias penais de atuação. Dentro da farda existe um pai de família que quer voltar vivo pra casa, cuidar de seus filhos, ver seus netos crescerem, e ter, ao final de sua jornada profissional, uma velhice tranquila ou a certeza de que sua família não será desamparada pela sociedade e pelo estado caso ele tombe em combate.

Não somos Robocops movidos a tapinhas nas costas. E a mera visita em enterros de policiais não apaga o desamparo estatal desenhado pela atual proposta da reforma da previdência.

Não é possível uma Segurança Pública de qualidade promovida por policiais idosos. O crime não envelhece. Nossa expectativa de vida é muito inferior à qualquer outra profissão. Doenças físicas e psicológicas são comuns pelo desgaste brutal da profissão. Estes são os fatos.

Não é possível promover efetivamente a segurança da sociedade se os policiais não tem segurança previdenciária alguma por parte do Estado, e continuam sendo lamentavelmente tratados como apenas corpos descartáveis da segurança pública nacional.

Filipe Bezerra é Policial Rodoviário Federal, Bacharel em Direito pela UFRN e pós-graduado em Ciências Penais.

TO: PRFs apreendem quase 100 quilos de maconha em Gurupi/TO

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na manhã desta segunda-feira, 04, cerca de 96 quilos de maconha, no quilômetro 699, da BR 153. Caio Fábio Gama da Costa, de 29 anos, foi preso em flagrante durante abordagem ocorrida por volta das 10h30, em Gurupi, sul do Estado.

De acordo com a PRF, o suspeito teria pegado a droga em Anápolis (GO) e levaria para Santa Maria, no Pará. Ele foi conduzido à Central de flagrantes da Polícia Civil, onde foi autuado pelo crime de tráfico interestadual de drogas, e, em seguida, encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Gurupi.

 

Fonte: T1 Notícias

FenaPRF e DPRF debatem busca de Inovação

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) esteve na sede da Polícia Rodoviária Federal nesta semana para discutir a etapa final de inscrição do primeiro concurso de tecnologias policiais, Startpol. O projeto é uma iniciativa da FenaPRF, Fenapef e APCF, entidades representativas dos policiais federais e rodoviários federais.

O presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, convidou a Polícia Rodoviária a ingressar institucionalmente na divulgação do concurso que selecionará, até 18 de março, startups que apresentem iniciativas de inovação em segurança pública. São 39 áreas tecnológicas que podem ser contempladas, como: Tecnologia da Informação e Comunicação; Química; Biotecnologia; Mecânica e Manufatura e Tecnologias Aplicadas.

Os projetos qualificados receberão financiamento direto das empresas investidoras e estarão qualificadas para aceleração pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), como Carniel explicou.

Representaram a PRF seu diretor executivo, José Hott Júnior e a chefe de gabinete Cintia Vasconcellos. Hott avaliou a iniciativa como valida para ajudar a instituição com soluções para diversas demandas tecnológicas, como equipamentos, viaturas e uniformes.

O curador do concurso, professor da Cornell Institute of Business & Technology, Humberto Ribeiro, ressaltou experiências internacionais de sucesso, como o das forças policiais americanas e canadenses.

A PRF já demonstrou interesse em divulgar o concurso para seu público intra-organizacional. Novas perspectivas de fortalecimento do concurso serão avaliadas pela área de apoio jurídico do departamento.

Escola de samba que homenageou a PRF é campeã do carnaval de Vitória/ES

A Independente de Boa Vista é a grande campeã do carnaval capixaba de 2019. Com 179,70 pontos, a escola de Cariacica fez bonito no Sambão do Povo mostrando a rotina dos policiais rodoviários federais nas estradas e fez homenagens à atuação desses profissionais.

Com o enredo “PRF: 90 anos de histórias dos anjos do asfalto”, a escola levou para a avenida quatro alegorias, um tripé e 18 alas e 1.600 componentes.

Ao final da apuração das notas, o presidente da escola, Emerson Xumbrega, se emocionou bastante.

“Foi o carnaval da superação. Covardemente incendiaram o nosso barracão em agosto, mas demos a volta por cima e remanejamos todo o nosso carnaval. Deus é bom demais. Essa vitória significa superação. Respeite Cariacica! Respeite a nossa Boa Vista, a nossa história!”, falou.

O Superintendente da PRF no Espírito Santo, Willys Lyra, acompanhou a apuração no Sambão do Povo e vibrou a cada nota 10.

“Foi uma experiência única. Você sair de uma instituição de segurança pública para mergulhar no ambiente da cultura, do samba, é uma união que não dá mais para dissolver. Eu falo que seria um amor de carnaval, mas é um amor pra vida inteira: a Polícia Rodoviária Federal, a Boa Vista e o samba”, declarou.

A Novo Império ficou em segundo lugar com 179,60 pontos. Pega no Samba caiu para o grupo de acesso, e ficou com 177,80 pontos.

Já a São Torquato vai voltar a desfilar pelo grupo especial em 2020. A escola terminou a apuração com 179,10 pontos.

A escola Mocidade da Praia foi a campeã do grupo de acesso B, com 178,20 pontos. No ano que vem, ela desfila pelo grupo de acesso A, na sexta-feira.

Fonte: G1