Author Archive:

SinPRF-RS e UPB-RS realizam atos no aeroporto de Porto Alegre contra a reforma da Previdência

A União dos Policiais do Brasil no Rio Grande do Sul realizou manifestações no aeroporto internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, na segunda e terça-feiras, em repúdio a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo atual governo. O evento contou com a presença do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais, do Sindicato dos Policiais Federais e o Sindicato da Polícia Civil.

O intuito de realizar os atos na segunda e terça-feira foi de chamar a atenção dos parlamentares que viriam a Brasília para os trabalhos da semana no Congresso Nacional. O texto apresentado pelo governo é tido como prejudicial a toda categoria das polícias.

Tais manifestações acontecem em várias cidades do país, como proposto pela coordenação nacional da UPB.

Confira as fotos: https://photos.app.goo.gl/QpKei6uJKVWKQPp49

MS: Dupla é presa pela PRF enquanto traficava maconha em bicicleta

Dois suspeitos foram presos nesta terça-feira (02) pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), enquanto traficavam maconha de bicicleta na BR-463 em Ponta Porã, cidade a 419 quilômetros de Campo Grande.

Os policiais realizavam ronda de rotina na rodovia, quando abordaram um ciclista e o garupa que seguiam sentido Dourados.

Após a revista, foram encontrados na mochila de um dos homens, dois tabletes de maconha que pesaram 2 quilos. Aos agentes a dupla admitiu que comprou a droga no Paraguai e que a levaria até Dourados.

Após o flagrante os envolvidos, a bicicleta e a droga foram encaminhados à Delegacia da Polícia Federal em Ponta Porã.

RJ: Equipe da PRF prende suspeito de comandar o tráfico em comunidade de São Gonçalo

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam, na noite desta terça-feira (2), Hilário Gabriel dos Santos Rangel, de 28 anos, apontado pela Polícia Civil como um dos líderes do tráfico na comunidade do Feijão, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Uma equipe da PRF realizava uma blitz na Rodovia Niterói-Manilha, na altura do Porto do Rosa, quando pediram para um carro parar. O motorista do veículo não obedeceu e tentou fugir do local. Outros ocupantes do carro começaram a atirar contra os agentes. Houve confronto e perseguição.

Alguns metros depois o carro dos criminosos bateu em um poste e dois homens desceram do veículo atirando. Um deles portava um fuzil.

Os policiais conseguiram prender Hilário Gabriel, mas os outros dois criminosos conseguiram escapar. Os agentes encontraram com o preso uma pistola de fabricação austríaca, calibre 45, com a numeração raspada. A arma estava adaptada para efetuar disparos em rajada.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Homicídios de Niterói.

Reprodução: G1

Número de radares nas rodovias federais cai de 5,5 mil para 400

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de cancelar a instalação de novos radares e de rever a necessidade de aparelhos já em operação nas rodovias federais significará praticamente o fim da rede ainda existente. Dados obtidos pelo GLOBO mostram que o sistema de fiscalização eletrônica encolheu de 5,5 mil pontos ativos, em julho de 2018, para cerca de 440 até março deste ano, ao longo dos 52 mil quilômetros de vias administradas pela União.

Em 2016, ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer, o governo federal decidiu abrir um edital para instalar, de forma gradual, 8.015 pontos de monitoramento, o que englobaria tanto novos quanto a renovação de existentes. Um único radar pode cobrir mais de um ponto de fiscalização, como mais de uma faixa de uma pista. Foi esse serviço que o presidente Bolsonaro suspendeu.

A maior parte dos pardais se tornou inativa porque os contratos de manutenção e funcionamento venceram, sem que o governo admitisse novos prestadores do serviço. Em 7 de março, Bolsonaro havia dito pela primeira vez que cancelaria a instalação de novos equipamentos para combater o que chamou de “indústria da multa”.

Mapa dos acidentes
Minas Gerais, que tem a maior malha rodoviária do país, foi o estado que registrou o maior número de acidentes no ano passado, 9.040, segundo a Polícia Rodoviária Federal, de um total de 69.114. Também é o local com mais pontos de monitoramento suspensos: 1.132. No Rio de Janeiro, por sua vez, ocorreram 4.557 acidentes e 236 pontos de fiscalização foram suspensos.

A medida pegou de surpresa a área técnica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O órgão considera que a presença dos radares contribuiu para redução de 24,7% no número de mortes nas vias federais entre 2010, quando o governo implantou o Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade, e 2016. Passou de de 7.083 para 5.333 óbitos no período. A quantidade de desastres também caiu, de 191.161 para 95.965, uma queda de 47%.

Segundo o Dnit, a decisão de instalar os 8.015 pontos de monitoramento foi tomada após estudos técnicos detalhados e ampliaria a segurança das rodovias federais, que registram cerca de 5,5 mil mortes por ano, além de trazer um incremento para os cofres públicos a partir das multas aplicadas a infratores. Quase todas as empresas que executariam a reativação ou instalação dos radares já estavam contratadas, pelo valor de R$ 852 milhões. A renovação de toda a rede custaria R$ 1,029 bilhão.

O empenho do Brasil na redução de desastres foi reforçado por um compromisso assumido com as Nações Unidas, no âmbito da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, de reduzir em 50% os acidentes de trânsito entre os anos de 2011 a 2020. Especialistas alertam que a decisão do governo de suspender radares vai dificultar o cumprimento do pacto firmado com a ONU.

Em transmissões ao vivo na internet, Bolsonaro criticou a existência dos pardais, resumindo seu papel à cobrança de multas. No último sábado, ele detalhou sua proposta ao anunciar que cancelaria os pontos de monitoramento planejados por Temer.

Para Michelle Andrade, a chamada “indústria da multa” não existe de fato: “A gente achar que é o Dnit que está atuando para promover a indústria da multa não é verdade. O governo não tem que pensar em retirar a fiscalização, mas em reforçar a educação no trânsito e a infraestrutura das vias. Assim vamos desmistificar a indústria da multa”.

Reprodução: Jornal O Globo

Frente Parlamentar em Defesa da PRF é relançada na Câmara dos Deputados

A Frente Parlamentar em Defesa da PRF teve o seu relançamento oficial para a atual legislatura na tarde desta terça-feira (2), no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. O evento aconteceu em conjunto com a Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, uma vez que ambas as frentes terão a presidência do deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ). O evento teve a organização da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais.

O evento contou com a presença de todo o sistema sindical da PRF, além de vários policias rodoviários federais, inclusive do Diretor-Geral da PRF, Adriano Furtado. O evento também teve o apoio de vários deputados federais e senadores da República, que destacaram a importância de ambas as frentes parlamentares. Ao todo, 48 parlamentares compareceram ao auditório e falaram aos presentes durante as três horas de evento.

Lançamento da Frente Parlamentar contou com vários presentes no auditório do Nereu Ramos. Foto: Agência FenaPRF

O presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, explicou o porquê de as frentes terem sidas lançadas em conjunto. “O trânsito e a PRF não têm como distinguir. A PRF tem um papel para ser indutora das políticas públicas em relação a um trânsito mais seguro. Nós temos um índice de mais de 100 mil mortes violentas no Brasil, sendo que 40 mil causadas pelo trânsito. É fundamental que essa casa trabalhe para fortalecer as normas desse país e possa diminuir esse cenário de guerra que temos no trânsito”, pontou.

Em suas falas, os parlamentares enalteceram a importância do fortalecimento da PRF, a necessidade de uma ampliação de cargos, além da efetiva necessidade do combate ao texto da reforma da Previdência, que fora apresentado à Câmara dos Deputados e está aguardando parecer na Comissão de Constituição e Justiça.

O deputado federal e PRF Fábio Henrique (PDT-SE) destacou que é necessário um olhar mais concentrado sob à PRF. “Precisamos investir mais na Polícia Rodoviária Federal. Estaremos lutando para a não retirada de direitos que hoje existem à categoria”, pontuou. Já o deputado federal José Medeiros (PODEMOS-MT) destacou que é necessário um trabalho duro contra a reforma da Previdência. “Temos um desafio grande pela frente. Estamos em um cabo de guerra. Mas sabendo do potencial da PRF, vamos conquistar essa vitória”. O deputado federal Nicoletti (PSL-RR) colocou seu gabinete a disposição “A pauta da seguraça pública é do trânsito seguro é minha pauta dentro do Congresso Nacional e meu gabinete está aberto para uma melhoria desses setores”, concluiu.

BA: Crianças sobem em caminhão para brincar, dormem, e viajam mais de 160 km na Bahia; meninos se perderam

Dois meninos de 10 e 12 anos foram encontrados em um posto de combustível, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-101, em Gandu, no sul da Bahia, após se perderem ao entrarem no compartimento de carga de um caminhão para brincar. As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com a PRF, os meninos se perderam, na última sexta-feira (29), após saírem de Buerarema, também no sul do estado, onde moram com a família. Eles foram achados no mesmo dia pelos policiais, no km 269 da BR 101, a cerca de 167 km de Buerarema.

Conforme informou a PRF, as crianças relataram que decidiram, sem o conhecimento do motorista, subir no compartimento de carga de um caminhão que estava parado na região para brincar. Em seguida, eles contaram que dormiram no veículo e só acordaram quando o caminhão já estava em movimento na rodovia.

Disseram ainda, que desceram da carreta na primeira parada feita pelo motorista, ainda sem o condutor notar a presença deles. Como não sabiam onde estavam resolveram se esconder em uma área de mata, porém, foram avistados por um funcionário de um posto de combustível que acionou a PRF.

Os policiais que encontraram os meninos acionaram o Conselho Tutelar, que entrou em contato com os familiares da criança e intermediou a volta delas para casa.

Reprodução: G1

UPB-ES realiza evento com parlamentares para debater impacto da reforma da Previdência na segurança pública

A União dos Policiais do Brasil do Espírito Santo (UPB-ES) realizou, nesta segunda-feira (1º), um café da manhã com parlamentares para debater os impactos da reforma da Previdência na segurança pública. O evento faz parte de uma série de atividades da UPB contra o texto apresentado recentemente ao Congresso Nacional e aconteceu no Tribunal de Contas do Espírito Santo, em Vitória.

O Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Espírito Santo foi uma das entidades que organizaram o evento. Além disso, a FenaPRF também esteve presente, com uma palestra do diretor jurídico Marcelo Azevedo. O presidente do SinPRF-MG, José Henrique, também participou do evento.

O evento contou com a presença de deputados federais capixabas, como Josias da Vitória (PPS-ES), Amaro Neto (PRB-ES), além do senador Fabiano Contarato (Rede), além de deputados estaduais da comissão de segurança pública da Assembleia Legislativa do Espírito Santo. Os deputados que não puderam comparecer ao evento por algum imprevisto, enviaram seus representantes.

Além do SinPRF-ES, a UPB-ES é composta pela Associação dos Escrivães da Policia Civil; Sindicato dos Servidores do Atendimento Socioeducativo; Associação dos Agentes de Policia Civil; Sindicato dos Policiais Federais; Sindicato dos Policiais Civis; e Sindicato dos Inspetores Penitenciários (todas as entidades do Espírito Santo).

Relator confirma apresentação do parecer da reforma da Previdência no dia 9 de abril

O relator da reforma da Previdência (PEC 6/19) na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), disse nesta sexta-feira (29) que já tem convicção a respeito do parecer que deverá apresentar no dia 9 de abril.

“Só não apresentaremos antes em virtude de prazos regimentais, mas já temos total condição de elaborar o relatório no menor tempo possível e submeter à Comissão de Constituição e Justiça”, afirmou.

Freitas também confirmou o calendário antecipado pelo presidente da CCJ, Felipe Francischini. “Os dias 10 e 11 de abril ficam destinados a eventuais pedidos de vista, e acredito que no mais tardar no dia 17 de abril nós já estejamos julgando esse relatório junto à Comissão de Constituição e Justiça.”

Inconstitucionalidades
Delegado Marcelo Freitas contou que já tinha sido sondado para a relatoria e vinha estudando a proposta. Ele não quis antecipar, entretanto, se vai ou não propor a retirada de algum ponto da reforma por alguma possível inconstitucionalidade.

“Nós já lemos todo o texto, fizemos um estudo aprofundado da proposta de emenda à Constituição, só que por uma questão de cautela e técnica, eu não vou antecipar nenhum ponto a respeito da constitucionalidade, da admissibilidade e adequação da reforma, e muito menos sobre questão de mérito.”

O deputado avalia que esta é a maior reforma no texto da Constituição brasileira de que se tem notícia e, portanto, é natural que haja divergências. Delegado Marcelo Freitas garantiu que vai respeitar o posicionamento das oposições.

Guedes
O relator falou ainda sobre a expectativa positiva para a vinda do ministro da Economia, Paulo Guedes, à comissão.

“O ministro Paulo Guedes é muito técnico e hoje o que o Parlamento precisa é de realmente uma visão técnica, que possa aproximar os parlamentares do verdadeiro texto da reforma, separando a nova Previdência daquilo que havia sido apresentado anteriormente.”

Paulo Guedes virá à CCJ na próxima quarta-feira (3) após ter cancelado sua vinda na última terça (26), o que provocou indignação em parlamentares que se opõem às mudanças na Previdência.
Depois de passar pela comissão de Constituição e Justiça, a reforma da Previdência será analisada por uma comissão especial e pelo Plenário.

Reprodução: Agência Câmara Notícias

RJ: PRF apreende armas e munições em fundo falso de caminhonete em Três Rios

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam, na tarde deste domingo (31), um carregamento com milhares de cápsulas para fuzis e pistolas. O flagrante foi feito na BR 040, altura de Três Rios, no Centro-Sul Fluminense.

O material estava escondido no fundo falso de uma caminhonete. Uma arma de fabricação israelense também foi encontrada. A munição seria levada a bandidos do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio.

Os agentes, que faziam uma blitz na rodovia, desconfiaram do motorista de uma caminhonete e decidiram abordá-lo. O Grupo de Operações com Cães (GOC/RJ) da PRF, com as cadelas K9 Meg e K9 Cleo, auxiliou as equipes a encontrarem as cápsulas.

O motorista de 58 anos – cujo nome não foi divulgado pela PRF – confessou que receberia R$ 5 mil para levar o material de Guaíra, no Paraná, fronteira com o Paraguai, até a capital fluminense.

No total, havia 3.060 cartuchos para fuzis calibres 7,62 e 5,56 e pistolas calibre 9 milímetros. Também foram encontrados dois carregadores e uma pistola, também calibre 9 milímetros, de fabricação israelense.

A ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil.

Reprodução: G1

Representantes da UPB vão à Casa Civil para discutir Reforma da Previdência

Representantes das entidades que compõem a União dos Policias do Brasil (UPB), estiveram reunidos, na Casa Civil, com o secretário executivo, Abraham Weintraub, para tratar da aposentadoria dos profissionais de segurança pública. O encontro ocorreu na terça-feira (26).

A reunião deu continuidade às tratativas que envolvem as peculiaridades da atividade policial desenvolvida pelos profissionais de segurança pública.

Durante as falas, foi reafirmada a importância de ser respeitada a similaridade existente entre a atividade exercida por servidores de segurança pública e militares em termos previdenciários, uma vez que se repetem os pressupostos constitucionais e legais da atividade de risco e da dedicação exclusiva.

Os trabalhos de convencimento junto ao Governo Federal e ao Congresso Nacional continuarão, até que sejam realizados os devidos ajustes na Proposta de Emenda à Constituição que trata da nova Previdência, a PEC 06/2019.