Author Archive:

MT: PRF apreende mais de seis toneladas de maconha

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na tarde de ontem (25), em Campo Grande, 6,5 toneladas de maconha escondidos em tanques adaptados para o transporte de óleo vegetal. O veículo, com placa de Mandaguaçu (PR), estava sendo conduzido por um homem de 54 anos, que acabou preso.

Os agentes encontraram a droga em vários fardos no interior dos tanques, estimado em pelo menos, uma tonelada. O motorista informou aos policiais que ele pegou o caminhão já carregado em Caarapó e levaria até a cidade de Rondonópolis (MT), onde receberia pelo transporte do entorpecente.

O homem, o veículo e a droga foram encaminhados para a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (DENAR).

Fonte: Diário Digital

Aumento da pena para roubo com arma de fogo ou explosivo está na pauta da CCJ do Senado

Em reunião na quarta-feira (27), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) analisa, em caráter terminativo, o Projeto de Lei do Senado (PLS) 149/2015, que aumenta em dois terços a pena para criminosos que usarem armas de fogo ou explosivos em assaltos, podendo elevar para até 30 anos, no caso de lesão corporal grave ou morte. A reunião tem início as 10h.

De autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA), o projeto altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/1940) para prever aumento de pena para o crime de roubo praticado com o emprego de arma de fogo ou de explosivo ou artefato análogo que cause perigo comum. A proposta conta com o voto favorável do relator, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Na justificação do projeto, Otto Alencar destaca que “os assaltos a agências bancárias com o emprego de explosivos têm crescido significativamente no Brasil. No Paraná, foram registradas 198 ocorrências em 2014. Em Alagoas, de um total de 40 assaltos (de janeiro a outubro), 30 aconteceram com o uso de explosivos. São Paulo é um dos estados mais afetados por esse tipo de roubo a caixas eletrônicos. Somente em janeiro de 2015 foram 28 ocorrências”.

O relator, por sua vez, ressalta que o número de agências bancárias cresce a cada dia e que o horário de funcionamento dessas instituições se alarga na mesma proporção, fazendo com que aumentem as oportunidades de roubos. Com o crescimento da rede bancária, observa Anastasia, também se multiplicam os postos de serviços bancários, os caixas eletrônicos e os carros fortes de transportes de valores, todos alvos da nova modalidade de roubo.

Fonte: Agência Senado

RO: Passageiro de táxi é preso com 2 kg de droga pela PRF

Um homem foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) após ser flagrado com cerca de 2kg de maconha dentro de um táxi, que seguia sentido Humaitá (AM) pela BR-319, em Rondônia. A abordagem aconteceu no fim de semana.

Uma equipe da PRF fazia a fiscalização, quando abordou um táxi que tinha dois passageiros dentro. Segundo o boletim da PRF, o carro tinha iniciado a viagem em Porto Velho e iria com destino para Humaitá.

Na revista pessoal e nas bagagens, os policiais encontraram em uma mochila três tabletes grandes e mais 10 embalagens pequenas com drogas, somando cerca de 2kg.

Quando indagado sobre a origem da substância, o suspeito afirmou aos policiais que tinha adquirido a droga no Bairro Nacional, em Porto Velho, e a entregaria para outra pessoa em Humaitá.

Diante dos fatos, o homem foi enquadrado por tráfico de drogas.

Fonte: G1

MT: Homem é preso em flagrante ao tentar subornar dois agentes da PRF

Homem de 34 anos foi preso em flagrante ao tentar subornar dois agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele ofereceu R$ 10 mil para eles encerrarem a fiscalização para tentar descobrir a origem de R$ 98 mil. Caso aconteceu ontem à noite, no km 130 da BR-163, na cidade de Naviraí.

De acordo com os agentes da PRF, condutor de caminhonete Toyota Hilux foi abordado e, durante vistoria, policiais encontraram pacotes de dinheiro embrulhados no interior de sacola. Questionado, homem disse que havia R$ 60 mil e que o dinheiro era referente a venda de veículo. No entanto, ele não soube informar as características do carro negociado.

Policiais contaram o dinheiro e descobriram que na verdade havia R$ 98 mil. Condutor foi incoerente ao responder as perguntas dos agentes e, diante da desconfiança dos dois policiais, homem ofereceu R$ 10 mil para que eles considerassem encerrada a fiscalização.

A ação do condutor foi filmada por um dos policiais e ele foi preso em flagrante pela prática do crime de corrupção ativa. O vídeo poderá ser utilizado como prova. Carro, motorista e dinheiro foram encaminhados para a Polícia Federal.

Fonte: Correio do Estado

BA: PRF acha R$ 700 mil dentro de mala transportada em ônibus

A polícia encontrou uma mala com R$ 700 mil dentro do bagageiro de um ônibus que passava pela cidade de Vitória da Conquista, no interior da Bahia, neste domingo.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), policiais realizavam uma abordagem de rotina no veículo quando os agentes descobriram a quantia, que estava escondida dentro de uma caixa de papelão no interior de uma mala fechada com cadeado. Por meio de uma etiqueta que estava presa à bagagem foi possível identificar o dono.

Segundo a PRF, ao ser questionado sobre a origem do dinheiro, o homem de 47 anos disse que pegou a quantia em São Paulo e estava levando para o Recife.

Ainda de acordo com a PRF, o homem contou apenas que atua como taxista na capital pernambucana, e havia saído de sua cidade para participar de um evento em Brasília. De lá, foi de avião até São Paulo, se hospedou em um hotel, onde pegou a quantia para levar de ônibus até o Recife.

No entanto, o homem não revelou se é o dono do dinheiro ou se estaria transportando a mando de alguém. A PRF detalha que, inicialmente o passageiro afirmou aos agentes estar levando R$ 350 mil dentro da mala. Porém, durante a contagem, os policiais rodoviários constataram que se tratava de uma quantia que chegou a R$ 700 mil. Após a descoberta do real valor, o homem preferiu ficar calado.

O dinheiro foi apreendido e o homem foi encaminhado para a Polícia Federal em Vitória da Conquista.

Fonte: O Dia

Conheça a história de Duda: a garota premiada com redação sobre trânsito seguro e morta pela irresponsabilidade de um motorista alcoolizado

Em 12 outubro de 2013, a adolescente Maria Eduarda Silveira Fernandes, de 11 anos, foi a vencedora de um concurso de redação na cidade de Tatuí, no interior de São Paulo. Com o tema “educação no trânsito”, a garota detalhou o quão importante é ser respeitoso nas vias, não somente cumprindo as leis de trânsito. Prometeu que, quando habilitada, seria gentil e educada no trânsito, além de fazer um alerta aos demais motoristas: “Dirija com cuidado, amigo, pois sua família o espera vivo”. Seu desejo, no entanto, nunca pode ser realizado.

Dez meses e dez dias depois, em 23 de agosto de 2014, todo aquele sonho de Maria Eduarda, acabou. Sua vida foi tirada por um uma irresponsabilidade de um motorista alcoolizado, que forçou a ultrapassagem de um treminhão de cana de açúcar, em local proibido na SP-129, colidindo de frente com a moto na qual estava Duda e o seu pai, Eduardo Ferreira Fernandes, de 39 anos. Ambos não puderam chegar vivos em casa por conta de um ato criminoso no trânsito, que seguidamente continua nas estradas, rodovias e vias brasileiras.

Duda, como era chamada pelos familiares, era um exemplo, desde menina, do que deve ser um motorista. “É preciso ter educação no trânsito, não só para cumprir com as leis, mas, sim, por amor à vida”; a sua e a de outras pessoas também…”, escreveu, no primeiro parágrafo de sua premiada redação. “Se todos os motoristas pensassem dessa forma, com certeza muitos filhos ainda teriam seus pais e muitos pais ainda teriam seus filhos”. A esperança de um trânsito seguro não pode ser cumprida contra si e contra o seu pai.

O responsável pela tragédia pensou em fugir. Ao telefone, segundo testemunhas, confessou que havia matado um rapaz. Ainda não sabia do estado da menina. A garota morreu 20 horas depois. Suas últimas palavras, segundo testemunhas, foi “cadê meu pai?” Após a resposta omissa de que ele estava bem, a garota sofreu o primeiro de vários ataques cardíacos. Os familiares sequer puderam se despedir de Eduardo Ferreira, pois seu velório foi com o caixão lacrado devido ao impacto.

Ainda assim, o responsável segue impune.

O delegado responsável pelo caso alegou que foi apenas um acidente, sem testemunhas. Os familiares, contudo, conseguiram reabrir o inquérito. E os laudos provaram que não houve acidade, mas sim, crime. O martírio, entretanto, continua. Faz três anos que o processo está parado na comarca de Boituva. “Justiça adiada é justiça negada”, diz a irmã de Eduardo e madrinha de Duda, Cristina Couto.

“Dói muito, mas tenho a necessidade de gritar para o mundo que eles foram assassinados. Eu preciso fazer algo para tentar sensibilizar os motoristas, para que tenham mais respeito e amor ao próximo. Que respeitem as leis de trânsito, os limites de velocidade e, principalmente, se beber, não dirija”, diz Cristina Couto, que hoje coordena um abaixo-assinado para a duplicação da SP-129, local onde seus entes morreram. Há a promessa, desde 2007, de início das obras na região, mas nunca saiu do papel.

Um dos apelos de Cristina é pela aprovação da PLC 144/2015, que tramita na Câmara dos Deputados. Entre várias alterações do Código de Trânsito Brasileiro, há a proposta da inclusão do parágrafo segundo do artigo 302, que dá a pena de quatro a oito anos de reclusão e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou habilitação para dirigir em caso da capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou outra substância psicoativa. “Vivemos a mais infame de todas as guerras, que tem levado a vida de milhares de brasileiros e deixado o solo da nossa nação banhado em lágrimas, pois só isso que nos resta”, lamenta a madrinha de Duda.

Confira na íntegra a redação na qual Duda foi vencedora, dez meses antes da tragédia que lhe tirou a vida:

Em rede social, Augusto Cury pede valorização dos policiais, professores e profissionais da saúde

Considerado o autor mais lido na última década, o médico e escritor Augusto Cury fez coro as categorias de segurança pública, educação e saúde. Em seu perfil no Instagram, ele divulgou uma mensagem reforçando a necessidade da valorização desses profissionais, justamente em um período em que se prega o desmonte dessas categorias.

Na rede social, Cury postou uma mensagem com o texto: “se não cuidarmos dos policiais que fazem a segurança, dos professores que educam e dos profissionais de saúde que cuidam e previnem, a sociedade desaba”. A mensagem foi publicada na última quarta-feira (20) e, até o momento do fechamento dessa matéria, contava com 16,7 mil curtidas.

O escritor também lamentou o congelamento salarial dos policiais em meio à crise no Brasil, além de lembrar da alta taxa de suicídios na carreira. “Como é possível policiais ficarem sem aumentos salariais há três anos, se em 2015 e 2017 a inflação foi altíssima? O índice de transtornos emocionais e suicídios na polícia é altíssimo”, destacou.

Grande parte dos mais de 200 comentários da postagem corroboram o escritor. “Que às autoridades competentes possam olhar com mais seriedade para essas camadas tão essenciais da sociedade”, escreveu um usuário do Instagram.

A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) agradece o apoio de Augusto Cury dado aos policiais. São repugnantes as atitudes do Governo Federal em não cumprir os acordos firmados em lei. A culpa da não é de quem cuida da segurança, saúde e educação do País, mas sim da incompetência do próprio Governo.

Valorizar o PRF é Preciso!

Reunião com Coordenador Geral de Operações debate a Operação Égide

O sistema sindical da Polícia Rodoviária Federal (PRF), se reuniu com o Coordenador Geral de Operações (CGO), Antônio Vital, na manhã desta quinta-feira (21), para debater os desdobramentos da Operação Égide. O encontro também contou com a presença do Coordenador Geral de Recursos Humanos, Jesus Caamaño.

Vital ouviu as demandas apresentadas pelos representantes sindicais, sobretudo em relação às convocações compulsórias e o desfalque de servidores nas regionais. A Operação Égide, determinada pelo Governo Federal, vem ocasionando a manutenção de 380 policiais, convocados de todas as regionais, no estado do Rio de Janeiro.

Os representantes sindicais encaminharam sugestões para minimizar os impactos negativos da Operação Égide em suas localidades. Eles receberam esclarecimentos sobre medidas que já estão sendo implementadas pelo Departamento da Polícia Rodoviária Federal (DPRF) para minimizar os danos provocados pela Operação, a mais longa já realizada pela instituição.

Entre as medidas reportadas, está o retorno da oferta de cursos de capacitação ao efetivo, como o Curso de Operações de Controle de Distúrbios, as Técnicas Policiais de Combate ao Crime, o Moto-policiamento e o Canil. A expectativa é que se inicie ao fim do mês de outubro, no Rio de Janeiro.

Outras sugestões
A revogação da limitação do prazo máximo de convocação para os servidores voluntários também foi apontada pelos representantes classistas. Os gestores confirmaram que tal pauta já está em vias de ser efetivada.

Os sindicalistas apontaram, ainda, a necessidade de majoração no valor das diárias, bem como sugeriram a adoção de critérios diferenciados para a pontuação no Sistema Nacional de Remoção de Servidores, a avaliação da progressão, além de outras medidas para os policiais que atuarem na Operação.

Valorizar o PRF é Preciso
A FenaPRF e os SinPRFs seguirão acompanhando de perto os desdobramentos das convocações, e cobrando medidas por parte da administração da PRF para preservar o bem-estar dos servidores e minimizar os impactos na segurança pública nas rodovias federais nas demais regionais.

Representaram a FenaPRF, o vice-presidente, Dovercino Neto, e o Diretor Jurídico da FenaPRF, Tiago Arruda. Eles foram acompanhados pelos representantes regionais: Marcos Gomes (SinPRF/TO), Amarildo Moraes (SinPRF/GO), Fábio Serravalle (SinPRF/BA), Marcelo Novaes (SinPRF/RJ) e Raphael Casotti (SinPRF/PR).

Acervo histórico da PRF é um dos atrativos da Semana do Trânsito, na Câmara dos Deputados

Parlamentares e cidadãos que transitaram pelo espaço Mário Covas, no Anexo II da Câmara dos Deputados, tiveram a oportunidade de conhecer um acervo rico em história da Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante essa semana. Vários equipamentos da PRF ficaram expostos na entrada da Casa como parte da comemoração dos 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Um dos curadores do acervo é o PRF aposentado, Roberto Brustolim Júnior. Durante os últimos anos foram coletados, pela equipe do Espaço Histórico Cultural da PRF de Curitiba (PR), diversos documentos, rádios, radares, fardas e outros equipamentos utilizados pela corporação no início das atividades quando ainda era intitulada como Polícia das Estradas.

“Os uniformes de gala, por exemplo, tinham como um de seus trajes a camisa branca, o que para a época deveria ser muito complicado, já que inúmeras estradas eram de terra batida. Quando eu entrei, já houve a mudança para a camisa amarela”, explicou Brustolim.

As relíquias vêm sendo adquiridas desde 2006 por meio de doações e leilões, com iniciativa de inspetores da PRF do Paraná. Entre elas, uma espécie de cronômetro, que servia para aferir se o veículo estava ou não acima da velocidade. À época, o agente ficava em um ponto observando os carros através de um binóculo. Se passassem abaixo de 44 segundos, era constatado a velocidade acima da permitida.

A exposição ficará na Câmara dos Deputados até esta sexta-feira (21). Ela pode ser visitada no Espaço Histórico Cultural da 7ª Superintendência da PRF, em Curitiba. O espaço é aberto ao público às terças e quintas-feiras, das 9h às 15h. O Espaço fica na Linha Verde, nº 10.150. É necessário fazer o agendamento de visitas.

Seminário de 20 anos do CTB debate histórias e melhorias para o Código

Durante toda esta terça-feira (19), foi realizado no espaço Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, um seminário que remete aos 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O evento, que teve como um dos seus organizadores a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), contou com dois seminários, além de diversas homenagens para aqueles envolvidos nas políticas de melhoria do trânsito brasileiro.

O evento começou às 10h, recordando a importância do CTB nos últimos anos, desde a sua vigência, além de fatos que o precedeu. Foi lembrado, também, que nesse hiato, 31 leis alteram o Código, entre elas a ‘Lei Seca’, a ‘Obrigatoriedade do Air-Bag’, entre outras. Ainda assim, foi recordado que diversas pessoas ainda perdem a vida no trânsito, pautando a necessidade de contínuas melhorias para que tais estatísticas diminuam.

No primeiro painel, CTB – Histórias e Conquistas – a responsável por mediar os interlocutores foi a deputada federal Christiane Yared (PR/PR). Um dos membros do painel foi o presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, que abordou os 20 anos de realizações da PRF no contexto do CTB, além de apontar desafios dos agentes no trânsito.

Também estiveram presentes neste painel, o ex-deputado federal Beto Albuquerque; o secretário de mobilidade urbana do Distrito Federal, Fábio Ney Damasceno; o líder do programa Brasília Vida Segura, Leandro Piquet; o membro da comissão do CTB, Dr. Moise Edmond Seid; o criador do programa Volvo de Segurança Viária, Pedro Corrêa; e a coordenadora de projetos da Fundação Thiago Gonzaga, Daniela Fernandes Nunes.

 

 

No início da tarde, o deputado federal Hugo Leal (PSB/RJ) mediou o painel: ‘CTB mais 20 anos – Desafios e Expectativas. Os interlocutores aproveitaram o momento para destrinchar dados estatísticos e propostas de melhorias para um trânsito seguro. Entre os participantes, esteve o Diretor-Geral da PRF, Renato Dias, que trouxe uma explanação sobre como enfrentar os desafios de um trânsito cada vez mais seguro.

O painel também contou com a participação do Diretor-Geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Coelho Vicenzi; o prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette; o presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, José Aurélio Ramalho; o coordenador do programa SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto; Fábio Antioro, que representou Ailton Brasiliense, presidente da ANTP; e o coordenador da Operação Lei Seca no Rio de Janeiro, Tenente-Coronel Marco Andrade.

Homenagens
Ao fim dos painéis, houve uma homenagem a diversos participantes, com a entrega do troféu: 20 Anos CTB. Foram homenageados: a presidente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, Maria Edi de Moraes Gonzaga; Renato Dias, Diretor-Geral da PRF; o Senador Cristóvão Buarque, através de seu assessor parlamentar; o prefeito de Campinas, Jonas Donizette; o Tenente-Coronel da PM/RJ, Marco Antonio Andrade; o criador e consultor do programa Volvo de Segurança no Trânsito, J. Pedro; o presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, José Aurélio Ramalho; Horário Melo e Cunha Santos, presidente do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Trânsito; Beto Albuquerque, ex-deputado federal; o presidente da ANTP, Ailton Brasiliense Pires e o mesatenista Bruno de Paula Peres Braga.

Ao fim, o presidente da FenaPRF, Deolindo Carniel, fez uma homenagem ao deputado Hugo Leal, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da PRF e um dos responsáveis pela melhoria no trânsito nos últimos anos, com a criação da Lei Seca e também com o trabalho na Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro.

O evento contou com a organização da FenaPRF, da PRF, da Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados, da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro e do Observatório Nacional de Segurança Viária, com o apoio da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Trânsito, do Instituto Mobih, do Detran-DF e do Programa Brasília Vida Segura. Apoiaram institucionalmente o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN) e a Associação Nacional dos Departamentos Estaduais de Trânsito (AND), com o patrocínio da Ambev e 3M

 

Confira o álbum de fotos do evento: