Category: Notícias Sindicais

Policiais e governo discutem recomposição salarial da PRF

A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais e os representantes regionais da categoria apresentaram, nesta segunda-feira, 29, ao secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Duvanier de Paiva Ferreira os motivos da defasagem salarial dos policiais rodoviários federais. Os policiais destacaram a importância da recomposição salarial para a categoria e comprovaram, por meio de levantamentos, a defasagem salarial dos PRF´s em relação a outras carreiras do governo federal.

Os líderes sindicais apresentaram como ferramenta uma tabela que calcula o impacto financeiro em números reais no orçamento do governo a partir de qualquer índice de reajuste. Esta ferramenta pode auxiliar a equipe técnica na análise da situação da categoria por completo. A Tabela foi entregue ao Ministério.

O Secretário de Recursos Humanos disse que em negociações passadas, 2006 e 2008, a categoria não recebeu o tratamento adequado e informou que todos os argumentos apresentados serão analisados pela equipe técnica para que uma conclusão seja tomada. Outra reunião está agendada para esta terça-feira, 30, às 15h no ministério.

Na avaliação dos sindicalistas a expectativa é de uma resposta positiva e que atenda a realidade dos policiais.

Participaram do encontro o presidente da FenaPRF, Pedro Cavalcanti; os diretores Parlamentares Tácio Melo da Silveira e Renato Antonio Borges Dias; o diretor de Secretaria, Lourismar da Silva Duarte; o coordenador de Relações do Trabalho, Marcos Khadur Rosa Pires; o diretor de Comunicação e Divulgação, Fabiano Viana dos Santos; o presidente do SINPRF/BA, Erico Guedes dos Santos; o presidente do SINPRF/DF, José Nivaldino Rodrigues; o diretor Jurídico do SINPRF/PE Tiago Arruda; o presidente do SINPRF/PR, Ismael de Oliveira e o presidente do SINPRF/SE, Neto.

FenaPRF

Governo cancela participação em audiência que debateria reajuste dos servidores

A audiência da Comissão de Legislação Participativa que buscaria a celebração de um acordo para garantir reajuste salarial para os servidores públicos e abertura de novos concursos foi cancelada na tarde desta quarta-feira, 24. Segundo assessores da Comissão, os representantes do governo, entre eles o secretário de Recursos Humanos, Duvanier de Paiva, cancelaram a participação na audiência poucos minutos antes do início da Reunião.

A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais, que atua junto ao governo e parlamentares para garantir a previsão orçamentária que assegure a reestruturação salarial dos servidores do DPRF, esteve presente. O presidente da entidade, Pedro Cavalcanti, lamentou o cancelamento da audiência. “Essa é uma postura que não contribui para o debate visando a reestruturação salarial dos policiais rodoviários federais e das demais categorias”, diz.

A intenção da FenaPRF e das demais entidades representativas é que o governo reserve recursos no Orçamento da União de 2012, que será aprovado pelo Congresso Nacional até o final do ano. O governo, no entanto, já deu sinais de que a luta pelo reajuste não será fácil, em razão da “crise econômica internacional”.

Mesmo com o cancelamento da audiência o Relator do requerimento de audiência pública, o deputado Paulo Rubem Santiago, do PDT de Pernambuco, foi até o plenário conversar com os servidores públicos. O deputado disse que lutará para que a audiência seja remarcada com a maior brevidade possível. “Além disso, desde já os sindicatos devem iniciar o diálogo com os membros da Comissão Mista do Orçamento para garantir emendas na peça orçamentária”.

Segundo Paulo Rubem, a equipe econômica precisa mudar a estratégia de reduzir os gastos públicos apenas com o corte de despesas com pessoal. “Nós temos certeza de que há espaço para correções na folha salarial da União. Vamos colocar os números nos papéis; discutir quanto é o impacto da despesa de pessoal na receita corrente líquida e qual é o impacto da folha dentro do PIB; e defender uma negociação para que, em 2012, a gente possa corrigir essas distorções, garantindo um bom serviço público porque quem ganha, lá no final, é a população bem atendida por serviços de qualidade”.

Paulo Rubem Santiago foi muito aplaudido depois de seu pronunciamento.