Chefe da fiscalização do Trabalho reclama de ‘cabresto político’ e pede exoneração