Exército reconhece morte de cadete