Ministérios ‘batem cabeça’ e paralisam infraestrutura