Ministro da Justiça: “quem decide o que o sindicato vai fazer é a base”