No Judiciário, corte militar tem maior gasto com ‘marajás’