Novo texto sobre renegociação de dívidas mantém impasse sobre gastos com pessoal