ONG cria ‘menina virtual’ e identifica mais de mil suspeitos de pedofilia