Planejamento só autorizará contratações ‘essenciais’