Seminário discute os efeitos da Lei Seca após 10 anos em vigor

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Foi realizado na manhã da última terça-feira (05) na Câmara dos Deputados um seminário em comemoração aos dez anos da Lei Seca. O evento foi organizado pelo deputado Hugo Leal (PSD/RJ) em parceria com a deputada Christiane Yared (PR/PR) para discutir os efeitos da Lei 11.705/2008 e medidas para melhorar sua eficácia.

Falta de equipamentos
O primeiro participante da mesa de discussão do seminário, Marcelo Azevedo – diretor jurídico da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) – diz que os equipamentos utilizados no Brasil são obsoletos. “Só tem dois aparelhos que são possíveis serem utilizados no Brasil, faltam opções. Isso é absurdo, o que temos são aparelhos da década de 90, são para o uso repressivo, não são eficientes. No exterior estão usando aparelhos para o uso preventivo, que detectam uso de drogas e fornecem outras informações que são importantes para a autuação”, explicou o PRF.

O Deputado Hugo Leal (PSD/RJ), autor do requerimento para o seminário, ressaltou a importância do aumento de discussões em torno de leis que aumentem a segurança viária. O parlamentar agradeceu a presença dos deputados e autoridades que estavam presentes no evento.

Um dos depoimentos mais impactantes do dia foi da deputada federal Christiane Yared (PR/PR). A parlamentar contou a história de quando perdeu seu filho em 2009. O carro de Gilmar Yared foi atingido pelo veículo do ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, que, segundo laudos da perícia, estava embriagado dirigindo a 190km/h.

“Hoje estou deputada federal porque após cinco anos da morte do meu filho acreditei que era possível fazer algo. Ainda acredito! O universo da luta é gigante, há muitas pautas. Temos 10 mil homens da PRF que vão virar 6 mil, porque 4 mil vão se aposentar, teremos concurso para 500, como faremos? É uma guerra sem vencedores. Fazer com que tenhamos educação no trânsito, a punição e o cumprimento da lei é possível”, disse a deputada.

Luta popular
Representando o movimento popular Não Foi Acidente, Avair Rosa explicou que a vida traz à tona oportunidades em momentos de choque e tristeza. “Muita gente veio falar ‘parabéns por ir à Câmara’. Fiquei pensando se eu queria estar aqui. Tive que perder um amigo para ter essa oportunidade, a Deputada (Christiane Yared) teve que perder um filho para estar aqui. Mas se não fosse isso eu não estaria lutando hoje, a Lei (13.546/17) não teria passado. Não esperem perder um amigo para mudar suas atitudes no Trânsito”, discursou emocionado.

O Não Foi Acidente é um movimento criado para lutar por mudanças nas leis brasileiras, buscando diminuir a impunidade e evitar que vidas sejam perdidas por conta da direção sob efeito de álcool.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.